quinta-feira, outubro 13, 2005

E no melhor futebol do mundo



Na televisão aqui ao lado, assisto a bagunça generalizada no jogo entre Santos e Corinthians. O campeonato brasileiro hoje oferece a perfeita analogia de um Estado desmoralizado. Como diria o cientista político, a autoridade perdeu sua legitimidade. Basta uma arbitragem medíocre, cheia de lambanças, para que a mera incompetência passe a ser interpretada como ladroagem, injustiça, resultado comprado. Daí são dois passos: jogadores revoltados, torcida invadindo o campo, polícia descordenada, jogo interrompido. Tudo isso num jogo remarcado em razão de crimes anteriores. E todos reclamam, cada um puxando sardinha para o seu lado, sem nenhuma coerência ou equilíbrio. Vem mais bagunça por aí – estádio interditado, mais gritaria. Vou ficar surpreso se este campeonato chegar ao final.

2 comentários:

Gravatai Merengue disse...

Puxando a brasa, não a sardinha. A idéia da analogia é uma chapa com brasa por baixo (claro, dã). Daí você puxa a brasa para a sua sardinha, e o outro puxa para a dele, sempre cada qual buscando grelhar seu petisco.

Quando é para enaltecer a própria causa, falam que é "puxar a brasa", não a própria sardinha.

Conheço bem esse tipo de coisa útil para o Universo. Só não sei por que usam a expressão "de ponta cabeça" (de cabeça pra baixo eu sei). Não faz o menor sentido, e olha que às vezes procuro saber a origem disso.

Gravatai Merengue disse...

Sexta-feira, bora?

Exquisito, R. Bela Cintra, 532
Consolação

Firma? Vai du, eu, LINS, dani amiga da LINS, Reeumesma, talvez Maninha e Denis e grande elenco.

Chama a Marcela.